Todo mundo já ouviu falar de blog e já acessou diversos deles pelas suas navegações na internet. Algumas pessoas também tiveram a experiência de ter um blog gratuito. Porém, nas oficinas de WordPress que ministrei fiquei surpreso ao saber que a maioria das pessoas jamais tinha feito um blog na sua vida. Desde minha adolescência eu já criava site e blogs com os serviços gratuitos da época, como blig, hpg, etc. Mas apesar de ser algo muito disseminado e utilizado, poucas pessoas sabem o que é um blog de maneira mais profunda, ou a diferença real entre um site e um blog.

Algo que talvez você saiba é que os blogs foram muitos utilizados como “diários pessoais”, no início de sua popularização. Isso deu ao blog um ar de “coisa de adolescente” ou de pouco sério. No entanto, o marketing percebeu logo o potencial crescente dessa ferramenta digital. O blog passou a ser usado como uma forte ferramenta de divulgação de empresas e entidades público/privadas.

O grande potencial do blog está exatamente na mistura deste elemento informal, mais pessoal, somado ao fato de ser uma tecnologia avançada mas fácil de usar (pelo menos para os viciados em internet desde a adolescência, como meu caso). No entanto, ainda temos 98 milhões de pessoas sem acesso a internet no Brasil de uma população total de 175 milhôes (segundo dados do Banco Mundial 2016 e IBGE 1024). Isso confirma minha experiência pessoal, de que este tema é ainda muito pertinente e importante para você que quer ter um blog de qualidade.

O seu conteúdo acessível 24 horas por dia no mundo todo

Apesar de ser algo tão comum e presente, poucas pessoas conhecem ou entendem certas ferramentas e conceitos da internet. A palavra “site” significa local. Ou seja, o seu local, seu espaço na rede mundial de computadores. A internet, ou rede mundial de computadores, é um sistema que interliga computadores do mundo todo através de fibra ótica e outros meios. A grande inovação dessa rede, e que a tornou tão poderosa, é o fato de que ela não é centralizada e não possui um dono.

Nesta rede, todo computador que se conecta é, de alguma forma, servidor (pois envia dados) e cliente (pois também recebe dados). Isso quer dizer que você poderia fazer um blog/site no seu computador e torná-lo acessível, mas toda vez que você desligasse seu computador, o seu site ficaria fora do ar. É por isso que você precisa hospedá-lo em um servidor que, geralmente, são computadores mais potentes e que ficam ligados 24 horas por dia. Hospedagem é o nome que se dá para manter seu site disponível em um servidor sendo acessível por qualquer pessoa pela internet.

Então eu preciso gastar dinheiro contratando uma hospedagem? Isso vai depender de seus objetivos. Existem hospedagens gratuitas e pagas, aliás, com diferenças muito grandes de valor e de recursos oferecidos. Falaremos disso mais adiante.

Em um servidor, contratado ou gratuito, serão instalados os arquivos de seu site ou blog. Com isso você criar “páginas web”, que são, de certa forma, como páginas de papel, onde podem ser inseridos textos, imagens, vídeos, músicas, programas etc. Para criar essas páginas e inserir esses conteúdos são necessários conhecimentos técnicos de acordo com a plataforma usada ou oferecida pelo servidor. Por fim, ainda que você tenha um servidor com seu conteúdo já inserido e disponível 24 horas, só será possível acessá-lo através de um número IP inserido no navegador (Firefox, Explorar, Chrome), algo como 192.33.56.200. Por isso você precisa comprar um domínio para que as pessoas possam acessar seu site através de um endereço como www.meusite.com.br.

Isso tudo demanda um conhecimento técnico. Para quem não conhece o suficiente, mas mesmo assim quer fazer seus blog, é possível encontrar empresas, como a Edições Cobra, que faz toda a instalação e configuração do seu blog ou site, oferecendo já a hospedagem e a compra de domínio.

Se você preferir usar um serviço gratuito de blog ou site, como Blogspot, Wix ou WordPress.com, basta fazer um cadastro que lhe serão oferecidas as ferramentas já prontas para você adicionar seu conteúdo. No entanto, você terá diversas restrições e um domínio parecido com www.meusite.wordpress.com.br. No entanto, tudo pode ser alterado pagando valores a parte ou tendo uma conta premiun. Afinal, nada é gratuito, alguém precisa pagar as contas da hospedagem.

Veja por exemplo este blog, os slides animados da página inicial e todos os outros recursos são configurados sem nenhuma necessidade de programação e códigos complexos, através de um painel onde tudo é configurado de forma amigável como na imagem abaixo:

painel-de-controle-blog-wordpress

 

Quais a vantagens de ter um blog? Qual a diferença entre blog e site?

Blogs e site possuem muitas diferenças técnicas, mas a verdadeira diferença não é essa. Sites geralmente são mais bonitos, personalizados, possuem mais ferramentas e recursos, porém demandam muito conhecimento técnico. Isso também quer dizer que as alterações e pequenas atualizações terão que ser feitas por técnicos e podem sair bem caras.

O blogue foi criado para ser uma ferramenta, antes de tudo, prática. É uma plataforma de escrita constante, diferente de um site que tem um conteúdo mais estático, com menos inserção de conteúdo. A palavra “blogue” vem de weblog, traduzido seria algo como “diário da rede”. Assim, muito mais importante do que a ferramenta, endereço ou aparência do seu blogue, o essencial é seu conteúdo e a frequência de atualização com que você publica.

Os blogues possuem uma interface administrativa onde qualquer pessoa pode configurar e publicar conteúdos facilmente, sem saber nada de programação. Claro que existem diversos níveis de configurações e complexidades. Mas a grande vantagem do blogue é ter essa interface amigável. Além disso os blogs costumam ser criados em cima de modelos automáticos (temas), o usuário pode se preocupar mais com o conteúdo da página, sem se preocupar com as configurações e códigos. Ou seja, não será preciso configurar toda vez a escolhas das fontes, cores, especificações do título, subtítulos etc. Tudo vem pronto de acordo com o tema escolhido. Também é possível inserir vídeos, imagens e links apenas clicando em alguns botões.

É por isso que o blog se tornou muito popular: ele é fácil, barato e mesmo assim possui muitos recursos. Essa facilidade é que permitirá você produzir mais conteúdo e trabalhá-lo melhor. Isso irá atrair as pessoas, pois um site tende a ser um local onde você acessa para buscar informações específicas para um momento, como endereço, email de contato, etc. Um blog é um local vivo, onde o usuário interessado, voltará para ver novos conteúdos e para ter informações mais atuais.

Agora, se você é um cyber-empreendedor, você já percebeu que essa espaço se tornou mais dinâmico ainda nas redes sociais. Porém, como já dissemos aqui: redes sociais não substituem blog com hospedagem, você deve usá-los em conjunto

Atualização e organização: os segredo de um bom blog

Eu passei por vários serviços de blogue: Blig, Blogspot, WordPress.com e WordPress. Fiz páginas no antigo HPG, geocities e outros. Aprendi muita coisa, mas confesso que perdi o foco e deixei o mais importante de lado: o conteúdo. Não me refiro a qualidade do conteúdo apenas, mas também a periodicidade de atualização, planejamento, revisão e segurança (backup). Durante meu aprendizado com a tecnologia perdi muito dos meus textos (quase sempre escrevo diretamente em meu blogue, sem papel ou arquivo local) e me preocupei demais com outras coisas, sem focar no conteúdo.

Se você quer ter um blog como um empreendimento, você deve se perguntar: quantos textos vou postar por mês/semana? Vou manter a periodicidade? Vou ter tempo para pesquisar o suficiente para criar bons conteúdos? Meus textos estarão bem linkados entre si?

Essas questões são fudamentais. Espera-se que o leitor de um blog seja um leitor que retorne várias vezes, sendo assim, é fundamental ter produção constante de conteúdo de qualidade.  Claro que aspectos estéticos são muito importantes também, quanto mais bonito seu blog, melhor. Porém, tudo deve ser construído sobre um projeto de conteúdo bem definido. Delimite bem seus objetivos e o método que usará para alcançá-los.

Outra questão importante é a organização da informação. Como blogs costumam ter muito conteúdo é fundamental que toda a informação esteja bem organizada e clara para o usuário. É muito importante também a criação de links internos que sugiram conteúdos relacionados para que o leitor continue por mais tempo em seu blog. A disposição das informações, assim como alguns termos para se referir a elas, podem seguir padrões já estabelecidos na internet para facilitar o acesso.

Dois conceitos são essenciais para a organização de um blog: páginas e posts.

print-tag-pagina-post-categoria

Páginas e posts

Páginas e posts são praticamente iguais. Em ambos você adiciona seus textos e mídias. São editados da mesma forma. O que muda é que páginas são conteúdos mais estáticos. Por exemplo, a sua página de informações de contato. Essa página tem um conteúdo que dificilmente será alterado. Ficará acessível por um menu ou link fixo e é de interesse de qualquer pessoa a qualquer tempo.

Posts são como páginas mas são exibidos todos juntos em uma única “página de posts”. Eles são dispostos de forma cronológica, assim, posts novos ficam no topo, mais visível ao leitor, enquanto os posts antigos vão ficando para trás. Por isso a relação com o tempo. Um convite para um evento com data determinada, textos sobre acontecimentos que abordam algum tema do momento ou algum acontecimento recente. A informação das postagens pode ser encontrada por buscas e links de arquivo, mas são informações que podem “não ser encontradas” pelo cliente, diferente de informações institucionais, por exemplo, que devem ficar em páginas.

Tradicionalmente as páginas ficam acessíveis em um menu superior (como neste site), rodapés ou barras laterais. Neste blogue, as páginas foram configuradas para aparecer no menu superior e os posts na barra lateral da direita. Outra coisa que você vai reparar é que as páginas apresentam seu nome no menu (ou submenus), mas as postagens ficam orgnizadas dentro das categorias e tags, atributos que entenderemos melhor abaixo.

Categorias e tags

Outro elemento fundamental para a organização de blogs são as categorias e tags. Imagine que neste blog temos cerca de 50 artigos (posts). Fazer uma lista apresentando todos os títulos seria algo extenso e pouco atraente. Por isso as categorias servem para dividir e organizar seus posts por temas e subtemas. Aqui por exemplo dividimos nossos posts segundo nossas três categorias de trabalho: Marketing Digital, Editoração e Design e Comércio Eletrônico. Dentro dessas categorias podem ser criadas outras subcategorias, organizando ainda melhor o conteúdo.

As tags funcionan de forma semelhante, porém a ideia é traçar outros “recortes” ou divisões. Eu posso por exemplo, adicionar a tag HOSPEDAGEM neste post que está na categoria Marketing Digital, mas também adicionar em um post de Comércio Eletrônico, que fale sobre a necessidade de hospedar uma loja virtual. Assim, ao clicar em uma tag, o blog oferece ao leitor uma seleção de textos independente da categoria.

Resumindo

O tema “blog” é muito amplo, espero ter conseguido aqui explicar o mais básico do básico. Consulte nossos posts ao lado e você encontrará informações mais avançadas e específicas. Mas por ora, vamos retormar o que discutimos:

Blogs são forma de colocar seu conteúdo acessível na internet 24 horas por dia, para divulgar seu projeto, empresa ou produto.

Se você tem um bom conhecimento de internet pode fazer tudo sozinho. Mas também pode pagar para ter um blog pronto e você se preocupe apenas com a criação de conteúdo Pode ainda utilizar um serviço gratuito com restrições, tendo que pagar para cada serviço extra.

Se você ainda está incerto sobre seu projeto de blog e deseja testar uma versão gratuita, sugiro o WordPress.com (não confundir com wordpress.org).

O segredo de um bom blog é ter conteúdo sempre novo e de qualidade. Para isso é importante organizar suas informações estáticas em páginas e seus conteúdo dinâmicos e posts.

Para manter seu blog bem organizado, é preciso criar um bom sistema de categorias e tags.

Saiba mais

Se o seu interesse é optar por um serviço gratuito mesmo e quer entender melhor a diferença entre Blogger e WordPress.com, recomendo a leitura complementar deste artigo de Fabio Lobo.

Se você quer saber como instalar o WordPress em um servidor, consulte essa página.

Para entender melhor a diferença entre hospedagem compartilhada e dedicada, pode consultar esse artigo de Wilker Costa.

Boas leituras e bom trabalho!

 

Gostou? Compartilhe

3 thoughts on “O que é um blog? Por onde começar?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *